Thursday, September 20, 2007

um poema da nossa santa terrinha


Se vens para apanhar umas
e com boa onda
sê bem vindo
e disfruta da zona

se és um gajo fixe
e tens boa atitude
vais ver
ainda mandas um tiube

agora, se vens armado em mau
e trombudo
volta para a tua terra
queremos ver-te por um canudo

gente mal disposta
e semblante carregado
bazem daqui
não pertencem ao buraco

quando chegas ao pico
e a malta já lá está
diz olá, boa tarde..
o que é que isso custa, vá lá.

achas que ganhas alguma coisa
em tentar disputar o pico com a malta?
ó meu, nós já lá surfávamos
ainda tu jogavas ao berlinde e fazias batota.

conhecemos cada tainha, cada ouriço pelo nome próprio
conhecemos o buraco como a palma da nossa mão
tira essa cara de cu e esse ar de quem está a ser enganado
curte umas ondas e dá um pauladão.

lembrem-se de respeitar
a gente local
somos um bocado paparucos, mas foda-se..
estás no nosso quintal.

já sei, já sei...
o mar é de todos e as ondas tambem.
mas achas que aparecer só quando está off shore muita bom, que está certo?
achas que isso está bem?

9 comments:

Maria said...

É assim mesmo; e mai nada...!! bjnhos. Maria

Anonymous said...

socorro...
estás mesmo com falta de ondas...

ze bird said...

acredita. já nem eu me consigo aturar.

andre said...

grande fadista ....

dizia ela baixinho said...

agora eu:

tenho no meu quintal
um raminho de hortelã
que belo verso
hã?!

(pois a métrica e o caraças, mas foi o que se arranjou)

Olhaí said...

Enquanto vai e não vai
No buraquinho quero ir
Deixo a miúda na praia
Que não paro de curtir

ze bird said...

é bom ver poetas deste gabarito..assim como eu.. obrigado dizia ela, obrigado darjo.. anónimo.

Yara said...

Tás mesmo a precisar de férias...

Mateus said...

Pá...xpétáklu....dos melhores versos e rimas que tenho visto nos últimos tempos. Esse é o espirito, essa é a onda. Força pó buraco